Zatoichi

À luz de uma década pesteada pela ascensão do Geek, os meios de produção, reprodução e representação culturais (aqui, entendidos por empreendimentos visuais, para não ficar demasiadamente vago) foram preenchidos pelos superpoderes e estórias sensacionais, muito benquistas pelo ideário popular; vivemos, pois, o auge dos super-heróis nas telas mundiais.

A eclosão de plataformas live-stream – e o relativo fácil acesso às novidades fílmicas – ajudou a espalhar esse universo geek/nerd; cada vez mais, filmes e séries são lançados com personagens de HQ’s, e o estigma de que quadrinhos é “coisa do passado” vai ficando, cada vez mais, obsoleto no discurso atual.

Dentre a explosão de vários filmes e séries, um dos maiores sucessos de 2015 é o Demolidor, ou Daredevil. A série – de produção da Netflix, mas de domínio da Marvel – conta a história de Matt Murdock (representado por Charlie Cox), o nova-iorquino de dupla ocupação: advogado e herói (um justiceiro em ambos os sentidos, por assim dizer). O personagem, não bastasse combater o crime, é, ainda, deficiente visual; o senso de heroísmo cresce ao percebermos, em sua deficiência, sua maior eficiência (ou seus “poderes”): exímia habilidade em lutas e controle sobrehumano dos sentidos. A recepção do público foi tão positiva que a série – de uma temporada, até então (2015) – já foi renovada.

As duas faces de Matt Murdock ou o Demolidor - advogado e super-herói
As duas faces de Matt Murdock, ou o Demolidor: advogado (esq.) e super-herói (dir.)

A série Daredevil superou facilmente o filme homônimo, de 2003, estrelado por Ben Affleck. Sem sombra dúvidas, é um dos maiores sucessos entre as webséries mundiais.

Há uma lista de super-heróis/vilões com algum tipo de deficiência visual, além do Demolidor: temos o Exterminador (DC Comics), Doutor e Doutora Meia-Noite (DC Comics), Nick Fury (Marvel), Stick (Marvel), entre vários outros.

Deixando o Ocidente de lado, trabalharemos com um personagem antipodal que muito me interessa: Zatoichi

Shintaro Katsu como Zatoichi. Meados de ‘60
Shintaro Katsu como Zatoichi. Meados de ‘60

Zatoichi é da terra do Sol Nascente. O personagem é cômico e sisudo, ao mesmo tempo, bem como têm dois “ofícios”, como o Demolidor: é um massagista – viciado em apostas e fã de álcool – e espadachim; em todas as ocasiões, entretanto, ele é cego.

Partilha de boa parte dos atributos do nova-iorquino (bem como dos outros heróis cegos), e desde 1962 é retratado nas telas japonesas; mais de cem vezes, entre filmes e séries. O feito é louvável, ainda mais se considerarmos que Netflix não era nem um embrião do imaginário tecnológico.

Zatoichi: Os Vários Enredos Básicos

À lume do período Tokugawa, o Japão foi marcado por uma sociedade pré-imperial conflituosa, com episódios de corrupção, prostituição, violência e conflitos civis e a insurgência da Yakuza. Neste quadro, o humilde massagista, que não transparecia suas habilidades de luta (de fato, nem parecia que andava armado. No caso, sua bengala era uma katana disfarçada, não tendo o tsuba), estava sempre próximo dos problemas. Diante de determinada situação conflituosa, como sequestro de moças para prostituição ou chacinas entre grupos, lá estava o justiceiro, pronto para enfrentar uma dúzia (ou mais!) de meliantes.

Zatoichi – ou Ichi-San, como é carinhosamente chamado pelas personagens secundárias –, diferente do Demolidor, é só um andarilho, de meia-idade, que carrega uma tranquilidade digna da orientalidade que caracteriza a história; um mix de monge tibetano com um ronin renegado. Seu prêmio era, sobretudo, a justiça; se possível, um trago num sake e uma farta refeição composta por gohan.

Zatoichi (1962) ao centro
Zatoichi (1962) ao centro

Embora nunca tivesse sido rabiscado pela Marvel ou pelas grandes empresas dos quadrinhos mundiais, o brasileiro Minami Keizi o representou num livreto chamado Lendas de Zatoichi: O Espadachim Cego. Muito bom, por sinal, tendo uma leitura tranquila e desenhos despojados bem característicos.

Livro brasileiro, por Minami Keizi e J. Shimamoto Zatoichi, o Espadachim Cego
Livro brasileiro, por Minami Keizi e J. Shimamoto: Zatoichi, o Espadachim Cego

O YouTube ajuda: é possível encontrar os primeiros filmes, estrelados por Shintaro Katsu, legendados em inglês.

1. The Tale Of Zatoichi

2. The Tale Of Zatoichi Continues

3. New Tale Of Zatoichi

4. Zatoichi The Fugitive

5. Zatoichi On The Road

Davi Bote

Da geografia e ciências humanas aos assuntos de boteco, perpassando solos de guitarra, video-games e textos informais e poesias. Ah!, as poesias: facebook.com/expressocatarseliteral
Davi Bote

Últimos posts por Davi Bote (exibir todos)