Guilherme Espir

118 Artigos 0 Comentário
Publicitário em formação, zappamaníaco e escritor de fundo de quintal fissurado em música tal qual um viciado à espera da próxima dose, neste caso aguardando em abstinência para o próximo disco.
''Berlin'' é um dos destaques do ano (para variar), além de ser mais uma sólida demonstração de talento por parte dos alemães. Temos aqui o disco mais sóbrio da banda, um conjunto de composições fortíssimas, só que com um pouco menos de sujeira se comparado aos trabalhos anteriores.
Esse pack quádruplo surge para mostrar não só a força do Fillmore, mas sim todo o frenesi que o Sly And The Family Stone proporcionava no auge do loop Funkeado. 1968 baby!
Com uma mistura classudíssima entre Jazz, Funk, Dub, Gafieira, Surf Music e percussão africana, ''TransmutAção'' parece encerrar um capítulo na vida da banda.
Chaiss na Mala é o Jazz que ilumina os caminhos nas mais boêmias estações de metrô de São Paulo.
Low foi um divisor de águas na carreira de David Bowie. Aqui sim temos o humano, o complexo, o transgressor, o inventivo e andrógino camaleão.
Creio que ''On An Island'' consegue musicar tudo que jamais conseguirei colocar em verbos e predicados. Consegue, não só sintetizar a aura mágica desse grande mestre, como também deixa claro como sua guitarra era mais que solos: formava paisagens e criava climas, era a alma de qualquer criação.
A mente contraditória - e transgressora - do jornalista musical Lester Bangs. O texto deste ácido senhor era um campo minado. Sua opinião era um como um forte armado, surgia impondo respeito e desqualificando músicos que no fim do dia eram apenas pessoas comuns.
Após 2 excelentes EP's (Quarto Ácido I & Quarto Ácido II), o trio Quarto Ácido, oriundo da interiorana Panambi, está lançando a música ''33'', single inicial do primeiro full-lenght da banda.
Em 'Maggot Brain', diz a lenda que George Clinton estava sob efeito de ácido, trancou Eddie Hazel em alguma sala de estúdio e disse para o americano tocar como se sua mãe tivesse acabado de morrer, descobrindo logo depois que era mentira. Com toda essa trama em mente, o líder P-Funk colocou Eddie no centro da sala e o cercou de caixas, e quando você escuta o ninar de sua Gibson não parece que a mãe do guitarrista morreu, e sim a sua. É a libertação com um sentimento de paz após segundos de tormenta.
Pedro Pastoriz deve se orgulhar de sua façanha, pois ''1'', debutante solo do membro do Mustache e os Apaches, é um retrato puro, genuíno e sem frescuras sobre a essência da música.