E se?

Hoje foi mais uma daquelas noites em que ela se perdeu em algum lugar do tempo entre o que ela é, e o que poderia ter se tornado.

E foi assim que começou mais uma madrugada insone, quando ela começou a divagar pelas decisões que a trouxeram ao ponto exato em que ela se encontrava.

Relembrou do cara do colégio que lhe pediu em namoro com a mesma insistência com que ela respondia não, imaginou que poderia ter tido uma relação duradoura com ele, e assim, teria poupado algumas frustrações amorosas pelas quais passou nos anos seguintes.

Lembrou dos convites que recebeu para sair, e que recusou por não ter coragem de pedir permissão aos pais, convites que provavelmente teriam lhe rendido novos amigos e experiências, ou não.

Recordou também do dia em que decidiu sair do conforto de casa, para tentar uma vida nova fora dali. Vida essa, que de tão assustadora, lhe causava uma empolgação sem tamanho.

Imaginou que se tivesse aceitado o pedido de namoro do cara do colégio, a tal decisão de sair de casa teria sido bem mais difícil, e talvez, ela nem a tivesse tomado, talvez ela tivesse continuado lá, ou ido depois de um término doloroso, por algum motivo que ela sabia que um dia iria aparecer, porque tinha certeza que ele não era o amor da vida dela.

Sabia que precisava ir, que precisava viver tudo o que viveu, conhecer as pessoas que conheceu, ter os momentos e histórias que só teve porque decidiu ir.

Ela sabia que precisava crescer e se tornar o que ela é hoje, e só conseguiu isso por que disse não aos pedidos de namoro, aos convites pra sair, e soube dizer SIM para a porta que estava à sua frente, e que se abriu com uma luz imensa e ofuscante que a impedia de ver o caminho por onde ela andaria. Mas medo do novo e do desconhecido ela nunca teve, eles sempre a empolgaram, e foi aí que ela deu o primeiro passo em direção àquela luz que ainda ofusca seus olhos e a faz seguir pelo desconhecido.

E por mais que as vezes ela tenha essas noites insones, onde divaga pelo que poderia ter sido, ela nunca pensou em dar um passo pra trás, ela sabe que precisa continuar indo em direção a luz.

É o que sempre dizem, não é? “Siga em direção à luz”.